quinta-feira, 5 de abril de 2012

Correndo em Santiago do Chile

No início de 2012 tracei algumas metas com o Mestre Gabriel em termos de objetivos, o principal é fazer uma base para que 2013 possa se decidir por correr a minha primeira maratona.
Treinos aumentaram(nas duas últimas semanas antes da prova fiz pouco mais de 50 km/semana), provas estão sendo escolhidas visando o objetivo principal traçado.
Em janeiro pensei em que país poderia correr, ou seja, juntar o útil ao agradável, passear com a esposa, optamos pelo Chile e depois da escolha o que mais ouvi foram "mensagens negativas", "...cuidado, lá é muito seco...", "...correr uma meia naquela secura ?...", mas quem quer fazer treinamentos para uma maratona não pode ficar escolhendo provas, a inscrição foi feita e a minha sétima meia maratona estava definida.
Chegamos em Santiago na terça, dia 27, por volta das 23 hs, no dia seguinte cedo já estávamos dentro de uma van rumo Viña Del Mar e Valparaíso, eu, esposa e cunhada, a equipe de apoio veio reforçada desta vez, e até sábado véspera da prova "andei mais que notícia ruim", mas valeu à pena, passeios foram divertidos, comida (frutos do mar principalmente)excelente,povo chileno muito hospitaleiro, mas nota-se claramente o quanto a cidade é poluída, seca, Santiago está situada num vale, cercada de montanhas e a dissipação da poluição é difícil, tive a informação que não chove desde outubro do ano passado.
Retirada do kit ocorreu na Estação Mapocho, bem próximo ao Mercado Central, acabei comprando um óculos no stand da Adidas com desconto de pelo menos 50%, falando em comprar não encontrei nada que chamasse minha atenção em termos de equipamentos esportivos.
Na sexta antes da prova tinha um treino confortável de aprox.35 minutos, sai do hotel por volta das 21 hs e segui rumo Avenida Libertador Bernardo O`Higgins, calçadas ainda com bastante movimento, achei um pequeno parque e fiquei rodando até completar o tempo estabelecido na planilha, por volta dos 15 minutos de corrida senti a garganta fechar, saliva desapareceu, e aí eu pensei "...takiparau,o que é isso...?Como correr assim ?..."A solução é se manter hidratado, a garganta molhada e foi o que fiz na prova inteira.
Sábado interrompi minhas caminhadas com a minha equipe de apoio após o almoço e fiquei de molho no hotel, durante a tarde um canal de TV local só falava da prova, com dicas, orientações, etc...,da janela do quarto eu via o movimento da montagem da festa em torno do Palacio de La Moneda.
Domingo como nos dias anteriores amanheceu com céu azul e nenhuma nuvem.
Encontrei com alguns brasileiros no hall do hotel por volta das 07:30 hs, onde é que estava esse pessoal que eu só vi no domingo ?
Largadas foram em sequência: maratona às 08:30 hs, 10km às 08:45 hs e meia às 09 hs.
Mais brasileiros na largada, gente de São Paulo, Vitória, Fotaleza, Porto Alegre, Rio, falaram em torno de 10% de estrangeiros, 2500 pessoas, acho que 2000 eram brasileiros.
Largadas foram pontuais e o povo gritando"...CHI,CHI, CHI, LE, LE, LE, Viva Chile!!!...", de arrepiar, os caras são patriotas e aquele bandeirão chileno em frente de La Moneda tremulando.
Minha meta era manter um pace abaixo dos 7min/km, queria ver as subidas, o comportamento em relação a temperatura, altimetria e umidade para aí definir melhor uma estratégia.
Largamos e passei no tapete de cronometragem com mais de 9 minutos,foram quase 10.000 corredores só na meia maratona.
Primeiros kilômetros vinha mantendo um pace de 6:30, procurando as sombras,pequena garrafa d´água nas mãos, curtindo a prova, calor já se apresentava e a umidade era em torno de 30%, aí começam já a aparecer pessoas caminhando, no km 8 vi uma moça sendo amparada e prestes a desmaiar.
A tal secura na boca apareceu, a hidratação era de 5 em 5km(água e Gatorade), em copos de papel, locais de hidratação eram propícios para um tombo devido aos copos no chão, pessoas com mangueiras d´água molhavam os corredores (lembrei de Santos, da prova da Tribuna), nos últimos 2 km tivemos muitas pessoas nas ruas assistindo e incentivando.
Do km 10 em diante as sombras desapareceram, o pace continuava abaixo dos 7 minutos.
Por volta dos km 17 e 18 vi duas cenas que vão ficar gravadas na minha mente por um bom tempo, corredores caídos e recebendo massagens cardíacas, ambulâncias na contra mão, muita gritaria e gestos para alertar os paramédicos sobre os incidentes, enfim, não tive notícias do estado daquelas pessoas.
Corri o km 19 e 20 num pace próximo de 6 minutos, percebi que dava para melhorar minha marca na distância, aliás esta é a vantagem do pangaré: cada prova um recorde pessoal.
Completei a prova com 02 hs 23 minutos e 39 segundos, melhorei minha marca em quase 4 minutos.
Para as condições da prova acredito que cumpri meu objetivo.
Próximas provas: Tribuna /Santos, em maio, depois vamos para a meia de Floripa, em junho e em julho a meia do RJ.
É isso, essa semana treino só dois dias e segunda voltamos com tudo.
Feliz Páscoa à todos!!!

6 comentários:

  1. Parabéns por mais um recorde, Jorge!
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Guilherme, pela força de sempre.
      Valeu!!

      Excluir
  2. Excelente, meu amigo! Parabéns por mais essa meia maratona concluída e por mais um recorde pessoal conquistado. Bom te ver correndo com cada vez mais desenvoltura e autoconhecimento. Que venham novos desafios!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Valeu, meu amigo!!
    Tenho me preocupado em treinar, os resultados vão aparecendo naturalmente.
    Abraço e obrigado pela força de sempre.

    ResponderExcluir
  4. Jorge, muito bacana seu relato. Parabéns pela melhora no tempo, ainda mais diante desta secura relatada. Não sabia deste detalhe e a maratona do Chile está nos meus planos. Poxa, não chover desde outubro é osso hen... ou melhor, é seco hen ! rs
    Turismo com corrida é bom demais. Parabéns.
    t+, Michel
    http://bmw-runner.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Michel,
    a prova tem uma boa organização,não diria excelente porque soube recentemente que na prova da maratona algumas pessoas foram atropeladas por bikes que faziam apoio de maratonistas.
    O clima é muito seco nesta época do ano e as largadas são em horários adiantados, mas vale à pena, povo hospitaleiro, lugares interessantes para passeios.
    Abraço e obrigado pela visita e comentário.

    ResponderExcluir